Para não perder recursos, entidades devem manter Cadastro Único atualizado

 

Entidades devem manter atualizados os dados das famílias cadastradas nos programas sociais para evitar perda de benefícios. Qualquer mudança na estrutura da família deve ser informada aos responsáveis pelo Cadastro Único.

Representantes da Secretaria Municipal de Assistência Social e de entidades socioassistenciais de Rio Claro se reuniram na sexta-feira (5) para discutir o cronograma de trabalho que será implementado ao longo dos próximos meses. As entidades receberam orientações sobre a importância de incluir e atualizar os dados das famílias atendidas pelos serviços sociais no Cadastro Único do governo federal.

“É muito importante e necessário atualizar o cadastro a cada dois anos. Caso isto não ocorra, os benefícios poderão ser suspensos ou cancelados”, explica Érica Belomi, secretária de Assistência Social. O prazo máximo de atualização é de dois anos, porém qualquer mudança na estrutura da família, bem como alteração de endereço, mudança de escolas das crianças ou em relação a renda, devem ser informadas imediatamente a entidade responsável pelo Cadastro Único e Bolsa Família no seu município para que sejam tomadas as devidas providências. Érica ressalta ainda que a atualização de dados é importante porque é através do Cadastro Único que os governos verificam as necessidades dos municípios para a liberação de recursos.

Na reunião de sexta-feira, as entidades receberam orientação sobre como preencher corretamente os relatórios técnicos e informações obrigatórias. Os serviços oferecidos pelas entidades devem contemplar a legislação da tipificação de Serviços Socioassistenciais do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e seguir os critérios do marco regulatório do terceiro setor. Esse trabalho será acompanhado por técnicos da Secretaria de Assistência Social que farão visitas mensais às entidades. A opinião dos usuários também será obtida em pesquisas de satisfação que serão realizadas a cada seis meses. Caberá à Vigilância Socioassistencial gerar os dados estatísticos desses atendimentos. Para a secretária, as entidades desempenham um trabalho importante que auxilia as ações desenvolvidas pela secretaria. Érica destaca ainda que a articulação em rede desses serviços ofertados é essencial para a obtenção de resultados positivos para o município.

Participaram da reunião as diretoras municipais Rita Godoy Lima, Fabiana Heguis, Luciana Ferreira, as gerentes Viviane Cristina Geraldo e Ione Helena Bernardo, além de representantes das entidades: Abrigo da Velhice São Vicente de Paulo, Aldeias Infantis, Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Educandário Santa Maria Goretti, Associação de Pais e Amigos do Centro de Habilitação Infantil Princesa Victoria (Apachi), Instituto Viver e Conviver (IVC), Lar Bethel, Lar Espírita Esperidião Prado, Núcleo Arte e Vida e União de Amigos (Udam).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *