Casos de dengue caem mais de 85% no primeiro semestre em Rio Claro

 

De janeiro a junho deste ano foram confirmados 10 casos de dengue contra 72 no mesmo período do ano passado. Mesmo com a queda, prefeitura mantém monitoramento no combate ao Aedes aegypti.

O trabalho intenso dos agentes do Centro de Controle de Zoonoses, com os mutirões de combate ao Aedes aegypti e a colaboração da população, surtiu efeito positivo no primeiro semestre deste ano em Rio Claro. De janeiro a junho foram registrados 10 casos positivos de dengue na cidade, 62 casos a menos que no mesmo período do ano passado, quando a Vigilância Epidemiológica da Fundação de Saúde contabilizou 72 casos da doença. A queda é de mais de 85%. Já os casos de chikungunya aumentaram de 2016 para 2017. No primeiro semestre do ano passado foram registrados dois casos contra seis no mesmo período deste ano. Não houve registro de zika vírus.

O CCZ continua monitorando a cidade e realizando ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Nesta semana foi iniciada a coleta de larvas em diferentes pontos do município para uma nova medição do índice de Breteau, que define a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento encontrados nas habitações humanas pela quantidade de total vistoriada. O resultado da densidade larvária permite que o CCZ direcione as ações de combate ao Aedes aegypti procurando diminuir a incidência das doenças transmitidas pelo mosquito.

A Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro ressalta que mesmo durante o inverno, a população deve se manter em alerta e fazer inspeções de rotina em seus imóveis. Medidas simples podem diminuir o risco de proliferação do mosquito. Entre as principais recomendações estão manter bem tampados caixas, tonéis e barris de água; pôr o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira sempre bem fechada; não jogar lixo em terrenos baldios; guardar garrafas de vidro ou plástico sempre com a boca para baixo; não deixar a água da chuva acumular sobre lajes e utensílios; encher os pratinhos ou vasos de planta com areia; retirar a água de pneus velhos e guardá-los em locais cobertos, protegidos da chuva; e limpar as calhas com freqüência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *