Novas ações para a Vigilância em Saúde são tema de segunda pré-conferência

 

População pode participar da pré-conferência e propor medidas que visem melhorar os mecanismos de vigilância em saúde. Reunião irá discutir gestão de risco de estratégias e participação social a partir das 8 horas desta sexta-feira (12) no NAM.

Uma nova pré-conferência em saúde será realizada nesta sexta-feira (12) a partir das 8 horas no auditório do Núcleo Administrativo Municipal (NAM), no Alto do Santana. Essa será a segunda das quatro pré-conferências que serão realizadas com o objetivo de definir os temas que vão nortear a 1ª Conferência Municipal de Vigilância em Saúde de Rio Claro, que acontecerá em 10 de junho. A atividade está sendo organizada pelo Conselho Municipal de Saúde em parceria com a Fundação Municipal de Saúde.

Para o encontro desta sexta, dois novos temas centrais foram escolhidos para discussão entre os participantes. O primeiro deles tratará da gestão de risco de estratégias para a identificação, planejamento, intervenção, regulação, ações inter-setoriais, comunicação e monitoramento de riscos, doenças e agravos à população. O segundo tópico tem como tema a “participação social no fortalecimento da Vigilância em Saúde”.

“Todos os participantes poderão fazer considerações e propor medidas que visem melhorar os mecanismos de vigilância em Saúde em Rio Claro, com foco nos temas selecionados”, comenta o secretário de Saúde, Djair Francisco. A expectativa é de uma grande participação popular. “Nesta segunda pré-conferência esperamos uma participação ainda maior da população. Quanto mais propostas melhor, para reunirmos um rol de ideias bem substancial para a conferência de junho”, afirma José Domingos de Almeida, presidente do Conselho Municipal de Saúde.

O NAM fica na Rua Dr. Eloy Chaves, 3265, no Alto do Santana. Outras duas pré-conferências estão programadas para os dias 19 e 26 de maio, no mesmo horário e local. Não há necessidade de inscrição prévia. As propostas apresentadas e aprovadas no município serão levadas para as conferências estadual e nacional e podem se tornar políticas públicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *