Um encontro de cores, imagens e sensações: ‘A arte de enumerar’, de Regina Aída Crespo

 

Poetisa de Rio Claro radicada no México lança livro dia primeiro de julho no Casarão da Cultura.

“A arte de enumerar”, Editora Urutau, 2017, livro de poemas de Regina Aída Crespo, será lançado no dia primeiro de julho, às 19h30, no Casarão da Cultura de Rio Claro. Aída é rio-clarense e há anos vive na Cidade de México. Escreve poesia desde jovem e agora decidiu publicar o seu primeiro livro, que espelha sua vivência entre dois universos culturais e linguísticos distintos, que se complementam no plano da escrita poética.

“A arte de enumerar” se compõe de haikais e de poemas em formato variado, em verso livre. O poeta Fabio Weintraub, autor do prefácio, destaca, entre outros elementos, a indelével relação geográfica, linguística e sentimental. “Com relação ao ponto de vista móvel, vale lembrar que a experiência de Regina como tradutora também se revela aqui, pela presença de poemas em espanhol, pela reflexão sobre a mescla de idiomas (“café latte com leite light,/ miragem de três línguas, três eles e exíguas calorias”) e sobre o incessante deslizamento de sentido no “desfile de sinônimos” (conforme se verifica em “Word reference”)”.

A autora nasceu em Rio Claro, em 1961. Partiu aos 18 anos para estudar, mas sempre manteve laços afetivos profundos com a cidade, onde permanecem suas raízes, família e muitos dos seus amigos. Regina se dedicou à carreira universitária. Depois de trabalhar na Universidade Estadual de Londrina e na Unesp de Marília, mudou-se para a Cidade do México , onde trabalha há 22 anos como professora e pesquisadora no Centro de Investigações sobre a América Latina e o Caribe, da Universidad Nacional Autónoma do México (Unam). Também se dedica à tradução literária e à difusão da cultura do Brasil no México, sempre buscando diminuir a distância entre dois países que tanto têm em comum, mas que poderiam conhecer-se melhor.

O poeta rio-clarense Jaime Leitão percebeu, igualmente, esta característica e a materializou no seguinte poema: De Rio Claro para o México/ do México para Rio Claro/ Regina faz a navegação da palavra sensível/ além da geografia/ enumerando/ sensações e sentimentos/lirismo que toca/poesia que nos conduz/à luz do verso/bela luz

Regina Aída Crespo voltou a Rio Claro em julho de 2016 para realizar um projeto de pesquisa. Prestes a regressar ao México, vê neste livro a celebração do ano que viveu aqui, onde reencontrou cores, imagens e sensações capazes de construir um mundo próprio, além das distâncias geográficas e do passo implacável do tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *